11/21/2006

lembrança

difere de tudo que
conheço teu
olhar manchado de
verde teu corpo alçado a
sonho vigio os

sinais mudos madrugada a
dentro sem jamais
compreender

difere de tudo que já
vi estas noites tão
compridas que se aliviam nos
teus
lábios persigo a

alegria que se alastra um
silêncio que valha
a pena

Adair Carvalhais Júnior

4 comentários:

Pedro Pan disse...

, entre silêncios que adentram noite a dentro. o corpo da amada é alegria sempre ...
, gostei de aqui. voltarei...
, feliz 2007!
|abraços meus|

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado, Pedro.
Volte sempre, mesmo.

adelaide amorim disse...

Adair, por que você não voltou ao desencontrados ventos? Faz falta, sabe? abraço grande.

Adair Carvalhais Júnior disse...

férias...descanso...
mas volto logo.

obrigado pela lembrança

abraço