6/26/2009

amargo

curvado sobre o
vazio arrasta míseras
lembranças nos
pés

sentado na beira da
depressão o
passado em
estilhaços não

consegue olhar

pra frente

passam os
dias como as
noites

imóveis
inúteis

há muito desistiu
de caminhar





Adair Carvalhais Júnior

5 comentários:

Tatiana disse...

Uma desilusão que espero seja passageira...ou apenas palavras!

Um novo dia nascerá trazendo ao coração a grande alegria de viver!

Meu carinho deixo aqui!

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado Tatiana, pelo carinho.

bj pra ti

histórias mal contadas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
histórias mal contadas disse...

me encontro nesse momento poético. é tão bom quando nos identificamos com algo que já foi escrito, tudo fica mais leve. estou gostando muito de te ler. abraços

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado. Realmente é um enorme prazer a identificação com algo já escrito.

Espero que continue...

um abraço