4/29/2005

frágeis

teu sorriso por
trás da janela enluarada uma
estrela entre duas
nuvens o
pio
da
coruja

um pouco de teu
calor no travesseiro um arco
íris de manhã um
pote quase
cheio meus mais
tolos
devaneios


Adair Carvalahis Júnior

8 comentários:

Irzan disse...

Hey ... thanks for visiting my blog .. i got your link from the referring pages ... nice job at your blog!

Keep up the good work... maybe we can link each other someday ... :)

Cheerio...

hfm disse...

Um poema de palavras precisas e belas, nem uma mais nem a menos. Aquelas. As que se transformam em poesia.

Amélia disse...

sempre gostei deste teu poema.amigo.E continuo.Beijo

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado, Amélia e Helena pela visita e pelos carinhosos comentários.

Adair

Lilia disse...

lindo, suave e colorido.
Bises no blog.
Lilia

Adair Carvalhais Júnior disse...

Linda surpresa você por aqui, Lilia.

beijão

Adair

Leônidas Arruda disse...

Adair, você conseguiu dizer o indizível com esse seu "pio de corujo". Parabéns.

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado, Leônidas.
Volte sempre.

Adair