6/12/2005

vespertino

por ventar nas
folhas secas o
dia levou tuas
sombras por

chover nas pedras
escorregadias a
noite achou
me na

janela atado
aos
sonhos naturalmente eu

me
encontro

9 comentários:

soledade disse...

Precário, este outono de memórias ou sombras levadas no vento, na chuva. Mas nessa precariedade "naturalmente /eu/me/
encontro". Assim, vespertinamente. Belo!
Beijo
Sol

Adair Carvalhais Júnior disse...

obrigado, Sol, pela visita aqui nesta casinha.

beijão

Adair

Maria do Céu disse...

Tem aquium blog cuidado de bom gost. Gostei das suas escritas. Bem haja. Cumprimentos.

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado, Maria.
Volte sempre.

Adair

mariza disse...

um belo poema.
mariza lourenço.

José Félix disse...

adair

sendo também uma visita de cortesia, não posso deixar de dizer que o blogue é precioso e de leitura obrigatória para quem gosta de ver um poeta que brinca com a frase poética.

uma braço

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado pelas visitas, pessoal, e me desculpme a demora em respondê-los.

beijos

Louise disse...

De uma sensibilidade ímpar.

Beijo no coração
Louise

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado, Louise.
Volto sempre aqui.

beijo pra vc também.