9/06/2005

patrimônio


para Pedro e Alice


a cor de teus
olhos molhados de sol o
vento leve na
manhã um

sorriso no fim da
tarde a
brandura das horas
mornas as

infinitas confidências da
pele a
luminescência da madrugada o
silêncio

do

poema



Adair Carvalhais Júnior

2 comentários:

Pavitra disse...


lindo demais, adair!

vou começar a garimpar por aqui
(recomeçar) rs

beijos!

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado Pavitra !
Vc me pegou de surpresa garimpando este poema nos confins do meu blog.

bjs