5/16/2006

confissão

todo poema é um risco
lançado sobre o
nada todo
poema ceifa completamente o
corpo

em cada angústia
vespertina arrisco todos
meus poemas naufrago na
carne
devastada




Adair Carvalhais Júnior

5 comentários:

adelaide amorim disse...

Adair, tenho grande prazer em conhecer seu blog. Vim por intermédio da Amélia Pais, nossa amiga de Portugal, que divulgou seu poema "Erosão" no grupo a que pertencemos. Gostaria de linkar seu endereço em meu blog
www.meublog.net/adelaideamorim
Um abraço fraternal.

Adair Carvalhais Júnior disse...

Cara Adelaide,
será um prazer para mim.
Fique à vontade.

grande abraço

Adair Carvalhais Júnior disse...

É um prazer a sua visita, Adelaide.
Fique à vontade.

Gde abraço

Pequena Aprendiz disse...

As vezes na vida é necesário fazer uma confissão, para que mostremos o quanto amamos ou odiamos viver.
E como poesia afirmas que tudo não passa de uma confissão de amor ao que tens?

Adair Carvalhais Júnior disse...

com certeza.

obrigado pela visita.

abraço