10/28/2008

biografia XXXIV - minas



caminhava entre

pedras recobria me de

montanhas branqueavam


meus cabelos enrugava

me a face profundos

vales


ansiava sertões dentro

de mim vertiam

cachoeiras inflamavam


meus olhos cresciam

vastas

angústias


a terra obra dentro

das

gentes



Adair Carvalhais Júnior

(foto e poema)

11 comentários:

Mariana disse...

lindo poema!

*ansiava sertões dentro de mim vertiam cachoeiras *

principalmente esse trecho.

Cosmunicando disse...

a terra obra dentro das gentes... isso é fantástico!

Pavitra disse...


ah, adair

esse me argilou...

lindo demais!

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado meninas.
É muito bom saber que vcs gostam.

beijos

fred disse...

Um prêmio pra você, Adair.
Aqui: http://eumeuoutro.blogspot.com/2008/10/prmio-dardos.html#links

Abração

Casulo Temporário disse...

"a terra obra dentro das gentes"...
também ressou em mim esse verso, também eu anseio sertões, vivendo tão urbana.
A foto é linda, eterna.
Abraço,
Ana Cecília

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado Ana. Sua visita é sempre bem vinda por aqui.

Bee-a disse...

no fim das contas... ficou lindo, ainda mais com a foto.

Adair Carvalhais Júnior disse...

Esse me deu um sustão !

Soledade disse...

Hoje é dia 4 e vim deixar um beijo especial, reafirmar a alegria que é saber que você existe e escreve como escreve.
Meu querido amigo, muitos e bons anos!

Adair Carvalhais Júnior disse...

Minha querida amiga,
O que posso fazer além de me alegrar profundamente com sua presença ?
Espero que os dias lhe sejam smepre mais leves e alegres, também.