11/06/2008

biografia XXXV - poesia

refazer inteira a
humanidade em cada
verso inspirar todos
silêncios


cada sulco do
mundo cobrir de
linguagem em
tudo tomar


parte inaugurar a
terra dia
a dia respirar o
inatingível


a palavra
obra em
mim


Adair Carvalhais Júnior

10 comentários:

Cosmunicando disse...

absolutamente lindo... realmente a palavra obra em você ;-)

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado Padmaya (espero ser o seu nome mesmo)
A palavra obra em nós...

Mariana disse...

um dos mais lindos que ja tenho lido por aqui.

Adair Carvalhais Júnior disse...

Mesmo Nana ?
Bom saber que uma poeta como vc gostou do meu poema: anima a gente !

Pavitra disse...


poesia é biografia para poucos como vc...

"inspirar silêncios" / "respirar o inatingível"

e a palavra que obra em vc
no mínimo dobra
os sentidos de quem lê seus poemas.

não sobra um suspiro...

Igor Machado disse...

os sulcos da terra já são versos da natureza. Meu gato não se toca aos meus poemas, mas todos se tocam a doçura do gato.

que mundo cabe ao poeta reinventar?

Ainda que, não me entenda mal, a palavra te é grande obra!

Adair Carvalhais Júnior disse...

Bom ver você versando por aqui, Pavitra.

Obrigado.

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado Igor: o poeta inventa o mundo inteiro !

Bee-a disse...

... e que invente ainda muitos mundos.

belíssimo poema.

Adair Carvalhais Júnior disse...

;-)