1/13/2009

quieto


calo a minha voz
nesta noite infindável.
só os meus olhos falam de ti,
mergulhados num lago.

Silvia Chueire




na beira do
mundo andarilho
de notas
vagas pendendo nas


bordas de seus
dedos


à margem dos
atalhos entregue
aos
dias




Adair Carvalhais Júnior
(Poema e foto)

6 comentários:

Mariana disse...

como disse e não canso de dizer: lindo demais!

Adair Carvalhais Júnior disse...

E não canso de agradecer !!

Bee-a disse...

esse poema é sublime.

Adair Carvalhais Júnior disse...

É uma bela palavra essa...

'brigado Bi.

KêDy disse...

gostei daqui
louco ou não lo de baixo pra cima e gostei
o fim se torna um DEJA vú real

Adair Carvalhais Júnior disse...

obrigado Kêdy. E volte sempre.