2/15/2009

aquoso

para Bi


uma ilha que
nasce dentro
do seu vestido* uma
luz

suntuosa no seu
decote

aquelas pernas
copiosas rodeando meus
sonhos as

mãos denunciando todas
minhas frestas

os imprevistos da
língua conquistando minhas
fronteiras seus

arrabaldes abrindo se nos
meus quintais

o prazer escorrendo no vão
da noite

* David Mourão-Ferreira



Adair Carvalhais Júnior

6 comentários:

traços de um homem disse...

Belo poema..mãos que denunciando..
otima semana
Abraços

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado.

Pra vc também.

Adrianna Coelho disse...


ah, adair...

que lindo poema pra Bi!

e "seus arrebaldes abrindo se nos
meus quintais"
...

esse foi de prender a respiração!

beijos

Bee-a disse...

boa surpresa. =)

e já sabe que adorei o poema...

Adair Carvalhais Júnior disse...

Vc tava sumida, Adriana.
Mas que bom que voltou.. e gostou.

bj

Adair Carvalhais Júnior disse...

Sei, Bee.

bj