2/19/2009

saudade

prossegue o silêncio em
torno das
coisas o canto de sua
presença no
ritmo das
árvores

persistem as
pontas de seus
cabelos roçando minha
memória
agreste o

calor de seus
olhos sobre meu
corpo

a espera na casa
abandonada



Adair Carvalhais Júnior

8 comentários:

Lobodomar disse...

Excelente o seu estilo de fazer poesia: versos leves, para dizer coisas profundas, usando poucas palavras.

Um abraço, POETA!

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado.
Volte sempre.

Mari Amorim disse...

Que lindo!
Parabéns.
Um abraço na alma
Mari

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado Mari.
Fico contente que tenha gostado.

Casulo Temporário disse...

Gosto muito, sempre, de sua poesia.
Este poema me tocou particularmente.
Um abraço,
Ana Cecilia

Adair Carvalhais Júnior disse...

Fico contente que goste e venha sempre, Ana.

abraços

Adrianna Coelho disse...


calor dos olhos é o que se sente lendo sua poesia, adair.

lindo!

beijos

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado Adriana.
É bom saber que minha poesia pode aquecer, nestes tempos gélidos.

bj