7/22/2009

inerte

são ainda seus
cabelos que se
enrolam em meus
dedos perdem

se como se o
dia
parasse

são seus
olhos que se
alojam na minha
escuridão embalam todas

horas como se não
houvesse um
mundo entre
nós



Adair Carvalhais Júnior

4 comentários:

Olavo disse...

O não haver um mundo entre nós é tudo..
Abraços

Adair Carvalhais Júnior disse...

É sim. Faz a maior diferença, né ?

abração

Mari Amorim disse...

Bolha de sabão.
Bolha cheia de ilusão
O vento de mim levou.

Boas energias,nesta madrugada fria
Bjs

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado Mari.

bj grande.