3/27/2011

olhos


onde se põe o
rio

de um porto a
outro

nas múltiplas margens                     

se deitam as árvores
nas paisagens insensatas
                           
nas penumbras silenciosas onde
se perdem as
colinas

nas funduras


onde se assentam os horizontes

largos


e ardem as trilhas
                           
                           

Adair Carvalhais Júnior

8 comentários:

Blog do Pizano disse...

A poesia, rio de múltipas margens. Belo e intenso olhar. Parabéns!

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado Pizano.

gde abraço

Fouad Talal disse...

adair,

espero que você tenha se sentido acolhido na tertúlia. é bom saber que você já possuia laços de amizade com alguns que lá estão, Mariana, Ronald...

que esses laços se estreitem e outros sejam criados. aportemos à terceira margem do rio, como diria nosso Guimarães.

um abraço!
ft

Adair Carvalhais Júnior disse...

Me senti rapidamente em casa, Fouad.
Muito obrigado.

hfm disse...

Já tinha saudades de te ler!

Adair Carvalhais Júnior disse...

Fiquei um tempo sem escrever nada que prestasse. Agora vou voltando.

Obrigado por voltar aqui.

Mari Amorim disse...

Gosto de seu olhar poético!
Boas energias,uma semana iluminada!
bjs
Mari

Adair Carvalhais Júnior disse...

Muito bom saber, amiga Mari.

um beijo prá vc.