2/02/2015

permanência

permitir que o dia
se espalhe prolongue
as horas insinue se
entre os pássaros transponha

a memória das plantas

que as águas dissipem
secas ergam moradas cavem
poças transbordem margens
transponham

os vestígios das pedras

permitir que a noite
invada as sombras rompa
extremos penetre sob
as portas transponha

a herança dos bichos

que as árvores retomem os
solos refaçam
as trilhas obstruam
o fogo transponham

a lembrança das terras


               
Adair Carvalhais Júnior 

2 comentários:

www.pedradosertao.blogspot.com.br disse...

Tão permanente esse transbordamento de sensações!!!

Parabéns pela profundidade das palavras!

Abraço do Pedra

www.pedradosertao.blogspot.com.br

Adair Carvalhais Júnior disse...

Desta forma segue o mundo, não ?

Obrigado pelo comentário e seja bem vinda aos "ventos"