7/29/2015

promessa



o desejo inaugura a
manhã ensaia nos
cachos dos cabelos
soltos

aconchega se nas
sinuosidades do
corpo irradia se tarde
afora

circunda os olhos adentra 
abismos arromba
impossibilidades atropela 
se 

e tomba sobre si
mesmo


Adair Carvalhais Júnior

2 comentários:

Malmal mal disse...

Belissimo poema!

Beijo Adair

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado Mal.

É bom quando gostas.

beijo